Prémios Nico

A Academia Portuguesa de Cinema vai atribuir, pela primeira vez, os Prémios Nico, assim designados em homenagem ao ator e realizador Nicolau Breyner, para reconhecer novos talentos que de alguma forma evidenciam as qualidades e os sonhos que todos reconheciam em Nicolau Breyner.

Para o Presidente da Academia, Paulo Trancoso, ”Nicolau Breyner não era apenas um grande ator, era alguém que encorajava e transmitia aos jovens a importância da capacidade de sonhar. Os Prémios Nico destinam-se precisamente a reconhecer talentos incontornáveis como foi o dele.”

Os Prémios Nico serão entregues ao realizador Nuno Rocha, pela obra “A Mãe é Que Sabe”, ao designer Igor Ramos, autor do cartaz japonês de “O Ornitólogo” (considerado um dos 10 melhores do ano a nível mundial) e ao jovem ator Miguel Cunha, pela sua participação no filme “Zeus”, recentemente premiado no Festival Caminhos do Cinema Português, com o galardão de melhor ator secundário.

Os troféus, concebidos e produzidos pela joalharia Anselmo 1910, serão entregues no dia 6 de julho, durante as comemorações do 6º aniversário da Academia, que este ano se celebram na Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa, reunindo membros da direção, patrocinadores e os premiados.

Sobre os premiados:

Nuno Rocha

Realizador e produtor, nasceu a 22 de maio de 1977, na cidade do Porto. Licenciou-se em Comunicação Audiovisual pelo Instituto Politécnico do Porto em 2007 e, enquanto estudava, escreveu e realizou a sua primeira curta-metragem “Berço de Pedra”, alcançando prémios nacionais e internacionais, com presenças em festivais de relevo como Fantasporto ou o Festival Internacional de Curtas-Metragens de Vila do Conde. No início de 2008 muda-se para Lisboa, onde começa a trabalhar na área da publicidade. Em 2009 surge com uma nova curta-metragem intitulada “3×3” tendo alcançado o grande prémio “Zon Criatividade em Multimédia”.

“A Mãe é Que Sabe”, que estreou em 2016, foi a primeira longa-metragem do realizador, tendo já merecido o aplauso da crítica e do público.

Igor Ramos

Designer de comunicação, nasceu em Pombal em 1991 mas vive atualmente no Porto. Estudou na Universidade de Aveiro, onde concluiu a Licenciatura em 2012 e o Mestrado em Design em 2014, frequentando desde 2016 o Programa Doutoral em Design da mesma instituição.

Iniciou no Mestrado uma investigação sobre a história do cartaz de cinema português ao longo do último século, projeto que atualmente desenvolve em Doutoramento, sob a orientação científica de Helena Barbosa, e financiamento da Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Estagiou no atelier Providênciadesign entre 2015 e 2016 e atualmente desenvolve, enquantofreelancer, alguns projetos orientados para a área do cinema entre os quais se destacam os suportes gráficos de comunicação para o filme “O Ornitólogo”, de João Pedro Rodrigues.

Paralelamente tem desenvolvido a comunicação semanal (impressa e online) do Cinema Trindade, no Porto, e os cartazes para diversas curtas-metragens e peças de teatro de realizadores/encenadores emergentes.

Miguel Cunha

Ator português, entre 2006 e 2009 frequentou o Curso Profissional “Artes do Espetáculo – Interpretação”, Balleteatro, no Porto. Em 2014, iniciou, em Lisboa, a licenciatura na Escola Superior Teatro e Cinema, no curso “Teatro – Ramo Atores”.

Desde 2009 que já participou em várias peças de teatro como “Sonho de Uma Noite de Verão” (2010), “Desta Carne Lassa do Mundo” (2015), “Marcha Invencível” (2017), entre outras. Na televisão fez parte do elenco das telenovelas da TVI “O Beijo do Escorpião” (2014) e “A Única Mulher” (2016).

Este ano, estreou-se no cinema, com o filme “Zeus” do realizador Paulo Filipe, onde interpretou o papel de “João dos Castelos”. A sua performance foi recentemente premiada no Festival Caminhos do Cinema Português, com o galardão de melhor ator secundário.

Fotografias

Subscreva a newsletter da Academia Portuguesa de Cinema

Conheça todas as novidades do cinema nacional.